A famosa tontura, que nos dá a sensação de que tudo ao redor gira, o chão parece se mover e de que vamos cair, nada mais é do que a ilusão criada pelo nosso cérebro de que algo está se movendo.

Pode ter origem fisiológica, como a que sentimos quando giramos muito rapidamente em uma brincadeira de roda, por exemplo; nos sentimos mal dentro de um ônibus em movimento; ou temos aquela sensação de que a cama está rodando depois de ingerir bebida alcoólica em excesso.

Mas a sensação também pode ocorrer quando algo não está funcionando muito bem em nosso organismo, principalmente com o labirinto. Localizado na região do ouvido interno. Labirinto é a estrutura é responsável pela noção de equilíbrio e percepção de posição do corpo. É ele que envia as informações de equilíbrio ao sistema nervoso.

Quando suas estruturas inflamam, por conta de uma virose, por exemplo, nossa noção de equilíbrio fica comprometida. É o que conhecemos como ‘labirintite’.

No entanto, a tontura pode ser iniciada por outros motivos. Conheça os principais.

Sensação de mal-estar no transporte

Para muitas pessoas, andar de barco, avião, carro ou ônibus é sinônimo de tontura e sensação de mal-estar. Para os médicos, esse desconforto é conhecido como cinetose, ou ‘doença do movimento’.

De acordo com os especialistas, essa sensação ruim acontece quando há um conflito no envio das informações transmitidas pelo tato, visão, e labirinto, para o sistema nervoso central. Esses três componentes são responsáveis por ‘orientar’ o equilíbrio do corpo.

‘É como se, ao mesmo tempo, o cérebro recebesse informação do labirinto, dizendo que o corpo está em movimento. Enquanto isso, a visão diz que está parada lendo um livro, e os pés também não estão se movimentando’, explica o otorrinolaringologista Ricardo Dorigueto, do Hospital Paulista (SP).

Com tantas informações contraditórias, o sistema nervoso central não sabe como interpretá-las, e o corpo começa a enviar hormônios de estresse para avisar que algo não está certo. O resultado é a tontura, acompanhada pela sensação de mal-estar.

Tudo girando após o consumo de álcool?

O álcool ataca os neurônios, e confunde a maneira como os neurotransmissores enviam informações entre uma célula nervosa e outra. Entre as substâncias neurotransmissoras está a dopamina.

‘Quando o álcool a atinge, acontece a redução da capacidade motora, do equilíbrio e, consequentemente, vem a sensação de tontura’, diz Igor Costa, otorrinolaringologista da Clínica Dra. Denise Lellis.

Além de atacar os neurônios, o álcool muda a composição e a densidade do líquido que fica dentro do labirinto, favorecendo os sintomas de vertigem, náuseas, zumbido e sensação de ouvido tampado.

Tontura ao se levantar bruscamente

A tontura, e até o desmaio, experimentado por algumas pessoas que se levantam bruscamente depois de um longo período deitado (como ao acordar ou depois de ver um filme) não está ligado ao labirinto, mas sim a uma redução do fluxo sanguíneo no cérebro.

Quando estamos deitados, a quantidade de sangue bombeada pelo coração, e enviada ao cérebro, é reduzida. ‘Ao nos levantarmos, o corpo precisa de uma quantidade maior de sangue irrigando o cérebro. Mas, por um momento, o coração não consegue enviar o montante necessário’, explica Fausto Nakandakari, otorrino do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Brincadeiras de roda

O ouvido é composto por três canais semicirculares responsáveis pelas dimensões (esquerda e direita, frente e trás, cima e baixo). Esses canais são cheios de um líquido chamado endolinfa.

Quando giramos a cabeça, esse líquido acompanha o movimento. No entanto, ao pararmos, o fluido continua seu movimento pelos canais, até perder força e parar. Esse período – em que o líquido ainda está em movimento – é o que nos faz sentir que estamos rodando, mesmo com a cabeça parada.​

Fonte:  OECE – Hosp. Sírio-Libanês

(JA, Jan22)