Médicas veterinárias orientam tutores a protegerem o bem-estar e a vida de cães e gatos

Os animais de estimação também são vítimas dos inúmeros imprevistos que podem ocorrer dentro do lar. Intoxicações, fraturas, quedas, engasgos, queimaduras e choques elétricos, estão na lista de possibilidades de acidentes que todo ‘pai’ e ‘mãe’ de pet precisa estar atento para evitar.

Cães e gatos estão sempre em busca de diversão, desta maneira todo o ambiente da casa passa a se tornar um campo exploratório para novas aventuras. Segundo a médica veterinária Amanda Peres, da área de Confiança & Segurança da DogHero, maior empresa de prestação de serviços para animais de estimação da América Latina, é justamente esse comportamento dos pets que faz com que os cuidados com a segurança deles sejam necessários.

‘Mesmo com a permanência em casa, muitos tutores se encontram atarefados com a rotina de trabalho e compromissos. Portanto, qualquer momento é propício para os animais testarem sua curiosidade. Com isso, acidentes podem acontecer, principalmente se estiverem sozinhos, e se forem filhotes’, explica Amanda.

A prevenção, aconselha a médica veterinária, vai garantir a saúde e o bem-estar dos animais de estimação, e evitar aborrecimentos. ‘Os tutores precisam fazer algumas adaptações no ambiente para a segurança do pet. Decoração com enfeites de vidro, objetos pontiagudos e cortantes, por exemplo, oferecem risco. Produtos de limpeza devem ser guardados fora do alcance deles. São tóxicos, muitas vezes inflamáveis, e sua inalação ou ingestão pode ter consequências graves ou até fatais’.

A atenção para evitar quedas é outra necessidade para que o pai ou mãe de pet fique atento. Jade Petronilho, médica veterinária e coordenadora de conteúdo da Petlove, menciona que principalmente filhotes e raças de pequeno porte, são mais vulneráveis, mesmo nas situações simples do dia a dia.

‘Dependendo do tipo de acidente, o pet pode sofrer uma lesão grave nos membros, na coluna, ou até mesmo no crânio. Para que o cãozinho não exagere ao saltar de pequenas alturas, o ideal é providenciar escadinhas apropriadas que se adaptem ao móvel, e fiquem firmes, gerando segurança para o pet utilizar o objeto. Pulos, em geral, causam impactos e, dependendo do cão, esse impacto pode gerar consequências para toda a vida’, orienta Jade.

Outro alerta da médica veterinária da Petlove é sobre deixar medicamentos em lugares fáceis do pet alcançar. ‘Muitos medicamentos humanos são tóxicos para os cães e gatos. Alguns podem causar problemas graves, ou até levá-los à morte. Infelizmente, muitas pessoas têm o hábito de medicar os pets por conta própria, sem fazer ideia do risco que podem causar. O descuido em casa também é algo frequente. Por isso, sempre que suspeitar que o pet tenha ingerido algum medicamento sem orientação de um profissional, é indicado levá-lo imediatamente ao médico veterinário para receber o tratamento de suporte necessário’.

Veja outras orientações das médicas veterinárias para evitar acidentes domésticos com o pet:

Grades e portões para isolar o ambiente

São práticos, fáceis de instalar e muito eficientes para manter o bem-estar dos pets. Permitem que o cãozinho permaneça no local desejado pelo tutor, garantindo sua segurança no ambiente. Indicada para cães de pequeno e médio porte. Ideal para isolar ambientes do lar e delimitar o espaço, a fim de evitar que o pet circule por locais indesejados. Protege do perigo de acidentes em escadas e outros ambientes como banheiros, cozinha, lavanderia etc.

Rede de proteção para janelas

O tutor do pet precisa considerar este item importante para evitar acidentes e fugas. A rede serve de proteção, e evita que o animal de estimação se choque com a janela e sofra sérias lesões. Para quem é ‘pai’ ou ‘mãe’ de um felino, por exemplo, é preciso escolher um material resistente (nylon ou polietileno). Outra consideração válida é o tamanho da tela, a medida 3×3 (buraco de 3 cm) é ideal para tanto para pets filhotes e/ ou de pequeno e grande porte, pois evita que o animal de estimação coloque o focinho dentro do furo da tela e morda as cordinhas da rede de proteção. Todo o cuidado é pouco. E é justamente aí que a rede de proteção entra.

Escada ou rampa para o cãozinho

Este item auxilia o animal de estimação a subir ou descer de locais altos , como camas ou sofás. Facilita a locomoção de pets idosos, pois os auxilia a fazer menos esforço na locomoção pela casa. A escada ou a rampa ajuda a evitar acidentes mesmo para os pets saudáveis, pois os filhotes e raças de pequeno porte se esforçam muito no dia a dia, para subir ou saltar, por terem as perninhas curtas. Tanto a escada como a rampa previne que eles se machuquem e venham a ter problemas nas articulações.

Suporte para o comedouro do pet

Esse acessório promove segurança na hora das refeições. Evita o risco de engasgos, pois o pet não precisa forçar tanto o pescoço. Como o comedouro fica mais elevado, promove maior facilidade também para animais idosos na hora da alimentação, e ajuda a rotina dos pets que estejam com algum desafio de mobilidade.

Medicamentos longe do pet

Os cães descobrem o mundo utilizando bastante seu olfato. Remédios em cima da mesa, banquetas, mesa de cabeceira etc., podem chamar a atenção dos pets. Portanto, mantenha bem longe do alcance deles os medicamentos que você tem em casa. Bolsas com zíper, guardadas em armários com portas, em lugares altos são as opções mais indicadas e seguras para guardar medicamentos em casa.

Cuidado com as lareiras

Os felinos domésticos adoram ficar deitados sobre superfícies aquecidas. Por isso, na tentativa de buscar um local bem aconchegante para ficar, o pet pode se machucar com gravidade. Seja caindo na própria lareira, ou se queimando nas superfícies quentes ao redor, ou até mesmo sendo atingido por fagulhas. Isso, sem esquecer de outros itens que podem ser bem perigosos também, como: acendedores, inflamáveis, espetos, entre outros.

Uma boa maneira de prevenir que a curiosidade do pet resulte em acidente, é deixar os objetos dele bem afastados do fogo. Brinquedos, arranhadores, caixinha de areia, e pote de comida, absolutamente tudo, deve ficar a uma distância segura da lareira.

Fazer uso de cercadinhos também é uma excelente alternativa para aumentar ainda mais a proteção, que não deve acabar mesmo na hora que o fogo da lenha desaparecer. Lembre-se de que a brasa é muito perigosa, e leva um bom tempo até sumir completamente. E, cuidado com a fumaça! Outro ponto que merece muita atenção, é em relação ao monóxido de carbono emitido pelo fogo. A emissão deste gás pode trazer graves problemas para a saúde dos pets, portanto, certifique-se que a lareira tenha boa saída para a fumaça, e nunca deixe o ambiente totalmente fechado.

O tutor precisa ficar atento ao pet, e se ele apresentar alguns sinais como: dificuldade em respirar, tosse ou espirros frequentes, inquietude, letargia, movimentos descoordenados ou perda de apetite, deve acionar imediatamente um médico veterinário e acabar com o fogo da lareira. Lembre-se que o monóxido de carbono é inodoro, insípido e incolor, portanto, um inimigo invisível que não se pode ignorar.

 

 

Fonte: Amanda Peres, médica veterinária da área de Confiança & Segurança da DogHero | Jade Petronilho, médica veterinária e coordenadora de conteúdo da Petlove | Rosangela Andrade, Fala Criativa

 

(JA, Ago21)