A libertação das mulheres aos 50 anos. Elas aproveitam a vida melhor do que antes.

Seu poder, segurança, maturidade, e amor-próprio, estão mais elevados do que nunca!

Ser mulher aos 50 antigamente era considerado por muitos um pesar. Atualmente, chegar a essa altura da vida é sinônimo de imponência e maturidade, sem ligar para as cobranças acerca de sua aparência. As representantes dessa idade não são mais deixadas de lado, muito menos jogadas na invisibilidade. São vistas, chamam a atenção, e são admiradas.

A experiência que a vida proporciona a essas mulheres, faz com que elas sejam detentoras de uma confiança inigualável. Converse com uma mulher madura e veja como a energia é diferente. Elas exalam segurança. A fala é firme, elegante e educada. São versáteis e criativas.

Depois de cinco décadas, a bagagem emocional delas coloca a de muitos homens no chinelo. Já não estão mais preocupadas em agradar a todo mundo, entendem que possuem sim o direito de envelhecer da maneira que quiserem, e dão uma bela lição de amor-próprio.

Idade não define personalidade, não define humor, não define jovialidade. Estar em paz com o espelho, gostar da maneira que se é, faz a tensão sumir, o peso se esvai, dando lugar à segurança, ao vigor, ao brilho e à iluminação.

Elas são livres para fazer o que quiserem, e estar onde quiserem. Já não se abalam mais com certos comentários. Entenderam que não há regras para a felicidade. São autossuficientes, e isso é uma conquista maravilhosa!

A delícia de ser quem é de verdade, de brincar, rir, se divertir, sem se preocupar com o que as outras pessoas pensam, é fator comum para as representantes dessa idade tão incrível. O foco mudou, antes essas mulheres se dedicavam aos outros, agora elas se dedicam a si mesmas.

Além de todas as qualidades que já pontuamos, a sabedoria é mais uma que colecionam. Mesmo com todas as mudanças hormonais acontecendo, essas mulheres desabrocharam para a vida.

Não ficam mais perturbadas para se encaixar no irreal padrão de beleza, elas se aceitam como são, e quem não fizer o mesmo não é digno de estar ao seu lado.

É um privilégio conviver com mulheres maduras. Elas resplandecem o ambiente, são modelos de força e clareza, e o mais importante: se bastam!

Fonte: Flávia Yokoo

 

(JA, Jun21)