A estilista, mundialmente conhecida, Carolina Herrera, em uma entrevista ao site Daily Mail disse o que pensa sobre envelhecer com beleza.

‘Sem jeans, sem preto e, definitivamente, sem biquínis (mas Botox é bom!), disse ela, que vestiu personalidades do mundo, de Jackie O a Meghan Fox. Hoje, com mais de 80 anos, Carolina Herrera gosta de ensinar suas regras para estilo sem idade.

A estilista venezuelana, que mora nos Estados Unidos, conquistou o mundo com o seu charme e elegância. Desde 1980, quando sua grife foi lançada, ela demonstra competência, e é admirada no mundo todo.

O seu compromisso é com a feminilidade, e não com o parecer ser jovem quando não se é mais jovem.

‘Nada envelhece mais uma mulher do que fingir que ainda é jovem’, diz a musa da moda.

Para ela, a mulher que aceita envelhecer é a mais invejável de todas.

‘Uma mulher deve envelhecer graciosamente, e não tentar aparentar uma idade que não tem, ou parecerá ridícula. Vejo muitas mulheres na rua e, de costas, ficam muito bonitas, com seus cabelos compridos e suas saias curtas. Mas, quando elas se viram…, aargh, eles são velhas!’, completou.

Para ela, fingir que tem uma idade quando não tem mais, é muito fora de moda.

‘Não posso mentir sobre minha idade, porque todo mundo sabe quantos anos eu tenho – é de conhecimento público’, ela ri. ‘Já fiz um pouco de Botox, por que não? Gosto de manter a pele limpa e fresca’.

Ela aconselha as mulheres a usarem o que gosta, mas com bom senso, claro.

‘Elegância é uma combinação de coisas: não apenas o que você está vestindo, mas como você age. É atitude. Não tem nada a ver com beleza ou dinheiro. Algumas mulheres podem gastar milhares de libras, e não parecer nada elegantes; e então, você vê outra, em um vestido barato, e ela fica elegante com ele.’

Para Carolina Herrera, antes de parecer bonita, a mulher precisa se sentir bonita.

‘Cultivar o próprio estilo pessoal é crucial depois de uma certa idade’, diz ela.

‘Não acredito em tendências porque as tendências fazem parecer que você está vestindo um uniforme. Alguma peça de roupa sai – e de repente todos parecem iguais. Todo mundo está usando o casaco preto acolchoado, ou está usando um certo tipo de saia, mesmo que não tenha pernas para isso’, declarou.

Ser você em meio à multidão, é o que te diferencia.

‘Com a moda, você tem que ter individualidade, e parecer diferente da multidão. Eu nunca quis parecer com todo mundo. Eu sempre quis parecer comigo’.

 

Fonte: Resiliência Humana

 

(JA, Jul22)