Gloria Kalil dá recado às mulheres maduras

Você é uma mulher com mais de 60 anos, deu uma passeada no shopping e percebeu que a maioria das lojas traz roupas para jovens, com peças muito curtas, muito justas ou muito decotadas? Fique tranquila, não é a única. Mas a boa notícia é que parece que as coisas estão mudando.

A consultora de moda Gloria Kalil foi uma das pessoas que recentemente tiveram essa sensação. Tanto que sua observação, logo depois de ir a um centro comercial de São Paulo, foi traduzida em um post de seu site Chic, no começo deste ano.

No texto, a especialista fala que, além das pessoas obesas, há uma nova categoria de abandonados pela moda: ‘As mulheres mais velhas, maduras, as gatas experientes, que não querem roupas de gatinhas, mas querem se sentir bonitas, sexy e atualizadas, com roupas que sirvam e sejam adequadas a esse estágio da vida’.

No fim, ela questiona: ‘O que os industriais de moda estão esperando para atendê-las?’

Li esse texto logo depois de publicado, fiquei com isso na cabeça e quis saber um pouco mais. Falei com Gloria e, surpreendentemente, sua percepção mudou um pouco nas últimas semanas.

‘Nesta estação, achei mais ofertas para esse público. Não sei se a moda está mais conservadora ou se o mercado percebeu que há uma faixa grande de consumidoras a ser atendida’, disse ela. ‘Parece que estão se dando conta de que há essa demanda e que as mulheres mais velhas pretendem continuar a se sentir bonitas e bem vestidas por um longo tempo’, acrescentou.

Curtos e decotados

De qualquer forma, ela questiona o fato de muitas lojas seguirem literalmente as tendências e não darem uma opção para as mais velhas. Um dos exemplos dados pela consultora são as blusas cropped (mais curtas).

‘Por que as marcas não pensam em colocar junto uma regata, por exemplo. O cropped para as mais velhas não funciona, mas colocar uma peça por baixo, fazendo um a combinação de dois andares, com cores ou texturas diferentes, é uma solução paralela que funciona muito bem’, sugeriu.

Ela é enfática ao dizer que hoje já não se pode ditar regras de certo ou errado ao se vestir, mas há pontos a serem observados por uma mulher madura. Entre eles, estão decotes profundos e peças muito curtas ou muito justas.

‘Claro que uma mulher mais velha pode usar jeans, mas os rasgados são indicados para as mais jovens. Os shortinhos jeans, bem curtinhos, também não cabem às mais maduras’, disse.

O bom senso, óbvio, é o principal amigo da elegância. Assim, determinar qual o guarda-roupa básico é impossível. ‘Depende do estilo de cada uma’.  E o conselho, esse por minha conta, é sempre ter peças básicas, de bom corte e acabamento, para compor looks com toques originais.

Que tal colocar um detalhe neon pu em animal print (tendências do momento) num look composto de cores neutras, tipo preto, branco, bege? Pode ser uma echarpe, uma fita presa no coque, um brinco, uma regata, um sapato ou uma bolsinha, tipo pochete, um casaco.

Para aproveitar outra tendência, aposte nas roupas mais larguinhas, que estão em alta no momento, mas sempre com algo inesperado complementando o look. Um colar bacana, uma armação de óculos moderna ou um sapato com estampa de oncinha, outra tendência que está crescendo.

Quem sabe na sua próxima ida ao shopping, suas escolhas fashion tragam um novo olhar aos seus looks e ao seu estilo. Tente, experimente. Afinal, você não deve mais nada a ninguém.

 

Fonte: Rosângela Espinossi  |   60+

(JA, Jun19)