Atividade física pode auxiliar na prevenção de quedas, doenças crônicas e no aumento da autoestima. Geriatra do Hospital Santa Catarina — Paulista aponta quais são as atividades físicas mais indicadas para um envelhecimento saudável.

O Brasil possui a quinta maior população idosa do mundo, com mais de 37 milhões de brasileiros com mais de 60 anos, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Esse número deve crescer nos próximos anos e, em 2030, de acordo com o Ministério da Saúde, o número de idosos deve ultrapassar o total de crianças de 0 a 14 anos.

Diante desse cenário, são necessários alguns cuidados para que o envelhecimento aconteça de forma saudável, aliado à prevenção de doenças. Um dos principais meios para alcançar esses resultados é a prática regular de exercícios físicos. No entanto, é preciso ficar atento a algumas recomendações antes de começá-los.

‘O ideal seria o idoso passar por uma avaliação médica antes de iniciar a atividade física. Os principais objetivos seriam identificar possíveis doenças prévias e atuais, avaliar medicamentos em uso, estado nutricional, limitações osteoarticulares e musculares, definir uma prescrição adequada e personalizada de exercícios físicos’, afirma Márcia Oka, geriatra do Hospital Santa Catarina – Paulista.

As atividades mais recomendadas para os idosos são aquelas de preferência pessoal, e as recomendadas por profissionais, tais como caminhadas, atividades aquáticas (como natação e hidroginástica), alongamento, pilates, musculação e dança de salão. Esses exercícios aliviam dores, fortalecem músculos, e evitam o surgimento de doenças crônicas como diabetes, pressão alta, e colesterol alto.

A prática de atividade física não traz somente auxílio para o corpo, mas para a mente também. ‘As atividades físicas, principalmente as realizadas em grupo, trazem benefícios psicológicos, emocionais e sociais. Aumentam a autoestima, a sociabilização, e a rede de suporte social, além de trazer prazer e qualidade de vida’, explica a geriatra.

‘A prática da atividade física em domicílio traz muitos benefícios para quem não pode, ou não consegue sair de casa, pois ajuda a manter a massa muscular, a coordenação motora, equilíbrio, diminui o risco de queda, e melhora a condição cardiovascular.

Os idosos que já têm avaliação médica prévia e já praticam atividade física devem continuar a prática. Para aqueles que são sedentários, o ideal é iniciar aos poucos e, de preferência, com a orientação de um profissional da saúde’, recomenda a médica.

Os cinco melhores exercícios para a terceira idade 

Alongamento/Pilates 

Melhora a flexibilidade e a circulação sanguínea. Além disso, a prática de alongamentos diminui a rigidez dos músculos e articulações, evitando o surgimento de lesões.

 Atividades aquáticas 

As atividades na água são algumas das mais recomendadas para a terceira idade. Elas auxiliam no fortalecimento muscular e das articulações sem tanto impacto, evitando lesões, que são prejudiciais nessa faixa etária. Somado a isso, os exercícios aquáticos ajudam na prevenção de doenças cardíacas e pulmonares.

Caminhadas 

As caminhadas fortalecem os músculos e as articulações. Também ajudam no controle e melhora do ritmo cardíaco. Se feitas em grupo, podem promover o convívio social, importante para as pessoas com mais de 60 anos.

Entretanto, é importante tomar cuidado com a postura, e sempre se alongar.

Dança de salão 

A dança promove mobilidade articular e fortalecimento muscular, que reduzem a possibilidade de queda, algo comum nessa faixa etária. Por ser feita geralmente em grupo, tem o mesmo efeito da caminhada, promovendo convívio social.

Musculação 

A musculação auxilia no fortalecimento muscular, melhora na postura e aumento na densidade óssea, fazendo com que os ossos fiquem mais fortes, evitando desgaste e riscos de fraturas

 

Fonte: Márcia Oka, geriatra Hospital Santa Catarina – Paulista | Stefanie Malo de Senço, Loures

 

(JA, Mai22)