O diretor da Escola de Medicina da Universidade George Washington argumenta que o cérebro de uma pessoa idosa é muito mais prático do que normalmente se acredita.  Nessa idade, a interação dos hemisférios direito e esquerdo do cérebro se torna harmoniosa, o que expande as suas possibilidades criativas.  É por isso que entre as pessoas com mais de 60 anos, pode-se encontrar muitas personalidades que acabaram de iniciar suas atividades criativas.

Claro, o cérebro não é mais tão rápido como na juventude.  No entanto, ele ganha em flexibilidade.  Portanto, com a idade, há mais probabilidade de se tomar as decisões certas, e ser menos expostos a emoções negativas.  O pico da atividade intelectual humana ocorre por volta dos 70 anos, quando o cérebro começa a funcionar com força total.

Com o tempo, a quantidade de mielina, que é uma substância que facilita a passagem rápida de sinais entre os neurônios, aumenta no cérebro.  Devido a isso, as habilidades intelectuais da pessoa são aumentadas em 300% em relação à média.

Também é interessante o fato de que, após os 60 anos, a pessoa pode usar os dois hemisférios ao mesmo tempo.  Isso permite que resolva com maior facilidade problemas muito mais complexos.

O professor Monchi Uri, da Universidade de Montreal, acredita que o cérebro do idoso escolhe o caminho que consome menos energia, elimina o desnecessário, e deixa apenas as opções corretas para resolver o problema.

Foi realizado um estudo no qual participaram diferentes faixas etárias.  Os jovens ficavam muito confusos ao passar nos testes, enquanto aqueles, com mais de 60 anos, tomavam as decisões certas.

Agora, vamos examinar as características do cérebro na idade de 60 a 80 anos.

Características do cérebro de uma pessoa idosa

  • Os neurônios do cérebro não morrem, como dizem. Caso a pessoa não se envolva em algum trabalho mental, as conexões entre eles simplesmente desaparecem.
  • A distração e o esquecimento aparecem devido a uma superabundância de informações. Portanto, não é necessário que o idoso concentre toda a sua vida em ninharias desnecessárias.
  • A partir dos 60 anos, uma pessoa, ao tomar decisões, não utiliza um hemisfério ao mesmo tempo, como os jovens, mas ambos.

Conclusão: se uma pessoa leva um estilo de vida saudável, se move, tem uma atividade física viável, e tem plena atividade mental, as habilidades intelectuais NÃO diminuem com a idade, elas só CRESCEM, atingindo um pico na idade de 80-90 anos.

Portanto, não tenha medo da velhice.  Esforce para se desenvolver intelectualmente.  Aprenda novos trabalhos manuais, faça música, aprenda a tocar instrumentos musicais, pinte quadros!  Dance!  Interesse-se pela vida, encontre-se e se comunique com amigos, faça planos para o futuro, viaje o quanto puder.  Não se esqueça de ir a lojas, cafés, shows.  Não permaneça sozinho, calado – isso é destrutivo para qualquer pessoa.  Viva com o pensamento:

‘Todas as coisas boas ainda estão na sua frente!’

 

 

Fonte: New England Journal of Medicine

(JA, Dez21)