Independentemente da idade, a prática de atividades e exercícios físicos é fundamental para a manutenção do corpo e da mente em bom estado. Nesse sentido, a caminhada é uma das atividades mais benéficas para todas as idades. Quais os principais benefícios da caminhada na terceira idade? Para as pessoas da terceira idade, em específico, a caminhada pode ser a prática ideal para manter o corpo em movimento diante das adversidades que se apresentam com o tempo.

Com o envelhecimento, os cuidados com a saúde devem ser redobrados, devido às particularidades e características próprias dessa fase. Dentre esses cuidados, uma das preocupações mais relevantes diz respeito a como manter esse público ativo e saudável, sem comprometer o desenvolvimento natural com o passar da idade.

Por conta de sua mobilidade reduzida e restrições locomotivas que, muitas vezes, os impedem de praticar certos exercícios que exijam muito de sua capacidade física, os idosos encontram na caminhada a atividade ideal para o seu estágio de vida. Mas em quais aspectos a caminhada pode ser positiva para idosos?

Os cuidados antes de se exercitar

Primeiramente, antes de iniciar qualquer tipo de exercício que envolva algum certo nível de esforço físico, por menor que ele seja, é fundamental que o idoso seja consultado por um médico e por um profissional da área de educação física. É indicado que seja apresentado a esses profissionais uma relação com os medicamentos e doenças pré-existentes, tais como hipertensão e diabetes, por exemplo.

Esse cuidado é de extrema importância, avaliando o estado de saúde do indivíduo, facilitando o direcionamento da atividade mais adequada ao seu condicionamento físico.

Com esse acompanhamento, o próprio idoso vai ter uma maior noção sobre as suas limitações, ajudando a estabelecer uma rotina mais apropriada. A hidratação para caminhar também é algo indispensável. Portanto, a ingestão de água antes, durante e depois da atividade não deve ser dispensada.

Também deve-se ter uma atenção especial para o uso de alguns itens, como bonés, óculos e, sobretudo, o protetor solar.

A atenção especial se justifica pelo fato de que, nessa faixa etária, a pele é bastante frágil e suscetível aos raios solares.

A importância da caminhada na terceira idade

Ao andar, é uma das principais características motoras do ser humano, o indivíduo está em interação com o mundo. Logo, para o idoso em especial, a perda dessa capacidade traz significativos prejuízos do ponto de vista da interação social e da plena realização de atividades cotidianas.

Sendo assim, preservar a capacidade de caminhar é reconhecer e estimular a independência física e autônoma da pessoa na terceira idade. Por ser uma atividade fácil de praticar, gratuita e que proporciona benefícios à saúde para diversos públicos, a caminhada tende a ser uma das atividades mais recomendadas para esse público.

Bastando seguir algumas indicações básicas e essenciais dos profissionais, a caminhada diária, de maneira orientada, preserva o organismo saudável ao melhorar as funções respiratórias e cardiovasculares, reduzir a pressão arterial, controlar a gordura, glicemia e peso corporal, dentre outros benefícios.

Exercício simples e de baixo impacto

A caminhada se caracteriza por ser um exercício considerado muito simples, podendo ser feito em qualquer lugar e não exigindo muita complexidade para ser realizado. Ela não necessita de equipamentos muito sofisticados para a sua realização. Além disso, caminhar demanda um esforço leve, com baixo risco de lesões. Ou seja, a caminhada não apresenta um grande impacto físico, algo comum em exercícios realizados na academia, por exemplo.

Com uma movimentação ponderada, o idoso se mantém ativo de uma maneira prudente e controlada.

Precioso exercício mental

Caminhar na terceira idade não é apenas um valioso exercício físico para um público que já tende a apresentar dificuldades de movimentação.

A caminhada na terceira idade é ainda um excelente exercício mental, isso acontece porque ela ativa o convívio social, e torna-se um evento que demanda planejamento e preparação. O contato social, com a devida proteção nos tempos atuais, é especialmente importante para aqueles que, ao chegar nesse momento da vida, estavam na reclusão e propensos a desenvolver quadros de depressão e síndrome do pânico.

Caminhar melhora a qualidade de vida dos idosos

Além do positivo impacto mental que ela traz, a caminhada na terceira idade permite uma série de outros benefícios. Um idoso que incorpora a prática da caminhada no seu dia a dia consegue realizar tarefas básicas do seu cotidiano com mais eficiência, já que ele vai ter um aumento da massa magra no seu organismo.

Como consequência, ele vai ter mais força muscular para efetuar ações básicas, como calçar um tênis ou carregar as compras do supermercado, por exemplo. Com o crescimento da sua massa óssea e o fortalecimento de ossos e articulações, ele vai ter ainda mais disposição para a execução das atividades diárias.

A caminhada também vai ajudar no equilíbrio do idoso. Com isso, os riscos de queda, um dos problemas mais recorrentes da terceira idade, vão ser sensivelmente minimizados.

De uma forma geral, a caminhada melhora a saúde orgânica como um todo. Ao estimular os grupos musculares, ela otimiza a coordenação de braços e pernas, bem como a eficiência pulmonar, de coração e vasos sanguíneos. Também apresenta impactos positivos como auxiliar no combate à insônia e estimular a criatividade.

Maior sensação de prazer e bem-estar

Com a redução das dores articulares e da sensação de peso e dores nas pernas propiciadas pela caminhada, o idoso vai sentir mais prazer e bem-estar no seu dia a dia. A pressão arterial também é controlada, diminuindo os riscos de AVC.

A mudança de hábitos de vida, simbolizada na incorporação da prática regular de caminhada na terceira idade, traz impactos benéficos para o grupo que adota esse estilo de vida mais ativo, distanciando-se do sedentarismo.

Com isso, eles são capazes de manter a sua capacidade funcional e de autonomia física, mesmo durante um processo de envelhecimento natural.

O ato de caminhar, nessa perspectiva, constitui-se em uma atividade física recreativa que pode ocupar o tempo de qualquer pessoa, favorecendo a integração e a sociabilização, ao mesmo momento em que se configura como um hábito saudável.

 

 

Fonte: Amigão Saúde

 

(JA, Ago21)