Foto Bruce Weber/Reprodução

Avós podem ser lindas, desejadas e continuar a fazer o principal papel feminino nas novelas, nos filmes e, melhor do que tudo, na vida real. Têm netos assim como têm namorados, fazem exercícios, comem e bebem bem, e se mantêm atualizadas e informadas sobre o que se passa no mundo.

Além disso, sabem tirar o máximo de suas possibilidades físicas e intelectuais: estão cansadas de saber qual o melhor corte de cabelo para seu rosto, a melhor maquiagem para a luz do dia, da noite (e até do elevador), as cores que favorecem, os decotes que enfeitam, como esconder as gordurinhas localizadas… Além do mais, são boas de papo, sabidas e interessantes.
Elas só correm um grande perigo: achar que podem tudo. Achar que, como têm boas pernas e corpinho em ordem, podem usar minissaias, decotes, barriga de fora, cabelão – todos os ícones da juventude. Não podem. Ou melhor, não devem.

Adequação e desconfiômetro são importantíssimos para que essas mulheres bacanas e de idade indefinível não se transformem em figuras estranhas e híbridas que ganharam em juventude, mas podem perder a medida do acerto. Avós, assim como toda mulher mais velha, podem ser chiquérrimas, muito extravagantes, muito interessantes ou muito o que quiserem. Só não podem acreditar que têm 20 anos…

P.S.: Para as maiores de 70 anos, está liberado todo e qualquer recurso de moda. Pode muita bijuteria, roupas étnicas, perfumes fortíssimos, cabelo branco, vermelho, rosa, azul, estufado, cheio de laquê…Quanto mais extravagantes na aparência, mais poderosas ficam!

Um beijo para todas as avós.
Gloria Kalil

Fonte: chic.ig.com.br/alo-chics