HISTÓRIA. A minissaia foi popularizada por uma costureira inglesa, Mary Quant. Mary era a proprietária de uma boutique em Londres chamada Bazar, era conhecida por seus projetos inovadores, e por estar entre os principais catalisadores na exposição internacional do movimento moda elegante. Mary tinha capacidade para sentir o pulso das ruas e buscou inspiração para seus projetos em jovens descolados. Os anos 60 foram uma época de revolução em filosofia, religião, política e moda. Foi durante esta época que as pessoas desafiaram o status quo, questionaram a validade das tradições e das restrições sociais. Foi durante este tempo que meninas jovens começaram a experimentar saias ligeiramente mais curtas. Como o comprimento das saias gradualmente foi sendo reduzido, este estilo levou ao o que conhecemos como a evolução da tendência da saia mini/micro.
MODA. Bainhas mais curtas gradualmente foram transformadas no que nós conhecemos como mini. Em 1965, jovens em Londres estavam começando a usar seus vestidos mais curtos do que nunca. Assumindo a sugestão deles, Quant começou a fabricação de saias escandalosamente curtas para a época. Uma vez que as meninas de Londres abraçaram esta tendência. Foi apenas uma questão de tempo até expandir-se internacionalmente.
Das ruas para as passarelas, a minissaia encontrou relevância no armário de qualquer fashionista. O estilo transcendeu a idade, raça, estilos e culturas. Em sua forma mais pura, a mini personifica a crença de que a mudança pode começar a partir de uma ideia…
“Quando olho para trás para as roupas que projetei, sinto claramente que elas carregavam um grande alto astral, celebraram a juventude e a vida, e a oportunidade. Elas tinham um chamado de qualidade do tipo: ‘Olha para mim’. E, além disso, sinalizavam: ‘ A vida é ótima! ‘” (M. Q.)

(JA, Mar15)