É natural do processo de envelhecimento que as pessoas sofram a diminuição da massa muscular de forma natural, o que, segundo especialistas, começa a ocorrer a partir dos 30 anos de idade. Mas essa situação pode trazer sérias consequências em indivíduos sedentários, ou seja, que não realizam atividades físicas em suas rotinas.

Nesta matéria vamos indicar quais as medidas a serem tomadas para que o processo de envelhecimento saudável ocorra da melhor forma possível em relação ao nosso corpo. Acompanhe!

A Sarcopenia e suas consequências

Sarcopenia nada mais é do que a perda de massa muscular ­ também chamada de massa magra. E ainda temos outro quadro relacionado à Sarcopenia: a chamada Obesidade Sarcopênica, que é a perda de massa muscular nas pessoas obesas.

Perder massa magra é inevitável ao longo da vida, mas sem as atividades físicas para se evitar a grande perda, ocorre também a diminuição da ativação das fibras musculares. Isso significa que, por mais que você tenha músculos em boa quantidade, não será o suficiente porque eles não funcionarão adequadamente.

A Sarcopenia pode prejudicar e muito a saúde na terceira idade, pois altera o metabolismo, diminui a mobilidade e aumenta o risco de quedas – sem falar no risco de doenças. E a solução para evitar essa grande perda de massa é simples: atividades físicas e alimentação equilibrada, dois dos principais pilares para um envelhecimento saudável.

Atividades físicas

Como dissemos anteriormente, os exercícios físicos são essenciais para se diminuir os efeitos da Sarcopenia durante o processo de envelhecimento.

Nesse sentido, a melhor maneira de se obter bons resultados é a introdução de exercícios com carga extra, também conhecidos como exercícios de força. Muitas pessoas pensam que apenas atividades aeróbicas, como caminhada e hidroginástica, são suficientes, mas não é verdade.

Atividades de sobrecarga, como a musculação, por exemplo, são essenciais para diminuir a velocidade das perdas musculares. E, paralelamente a esse tipo de atividade, o idoso precisa fazer exercícios também voltados à coordenação motora, ao equilíbrio, destreza e agilidade.

É importante lembrar que, antes de realizar qualquer atividade física, deve-se passar por uma avaliação médica para que o profissional possa indicar qual exercício será melhor para a sua saúde. De qualquer forma, sempre haverá atividades a serem feitas, independentemente da situação do indivíduo.

Alimentação equilibrada e moradia adequada

O baixo peso corporal ou a desnutrição no idoso geralmente está associada à alimentação fraca, sem a ingestão calórica, proteica ou a combinação das duas. A forte perda de massa muscular também pode estar associada à depressão, ao uso de muitos medicamentos, ao decréscimo dos sentidos (como o paladar e o olfato), à má saúde bucal, doenças crônicas, e outras alterações que podem dificultar a alimentação.

Além disso, causas sociais também podem levar a uma má alimentação e consequente aumento da Sarcopenia, como a vida solitária e recursos limitados, como dinheiro, falta de transporte e a consequente dificuldade de locomoção. Nesse sentido, é imprescindível que o idoso viva em local adequado, cercado de segurança, cuidados e de convívio social.

É fundamental que, além das atividades físicas, o idoso também seja acompanhado por um nutricionista para que desenvolva uma alimentação equilibrada. Isso é muito importante porque somente um profissional saberá reintroduzir corretamente a quantidade de alimentos certos, para que o idoso retorne ao seu peso ideal.

Todas essas informações nos levam a concluir que a nossa composição corporal certamente mudará com o tempo; mas existem medidas que devem ser tomadas, o quanto antes, para viabilizar uma vida mais feliz e equilibrada. E isso é perfeitamente possível!

 

Texto:  SBA , Comunicação

 

(JA, Jan18)