Frio quebra recorde em várias capitais do Brasil. Saiba como evitar as doenças comuns desta época

Segundo especialista, tosse e espirros podem ser sintomas de resfriado ou gripe. Atitudes do dia a dia podem evitar episódios de enfermidade no inverno

Os brasileiros estão sentindo, principalmente durante as manhãs, o impacto na mudança do clima. A frio intenso deve-se a uma grande e forte massa de ar de origem polar são sentidos no Sul, no Sudeste, no Centro-Oeste e no Nordeste do Brasil. Desde o sábado, o ar gelado vem diminuindo a temperatura e várias capitais brasileiras registraram recorde de baixa temperatura.

Nesta época do ano algumas doenças costumam surgir. A combinação entre o frio e baixa umidade do ar pode ser sinônimo de resfriados e gripes. Durante o inverno, além dos sintomas típicos da temporada como coriza e tosse, o clima de cada cidade  interfere diretamente na qualidade de vida da população, principalmente em crianças e os idosos.

Entre as doenças mais comuns desta época estão os resfriados, caracterizados por coriza, entupimento do nariz, espirros e até febre baixa ou dor de garganta. Com sintomas parecidos com o do resfriado, a gripe se diferencia por ser mais intensa, já que é causa pelo vírus da influenza e pode ser transmitida por gotículas de tosse ou do espirro da pessoa infectada. “Neste caso, o paciente deve ficar de repouso e se hidratar muito”, ressalta o médico Jairo de Barros, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL).

Depois de episódios de gripes ou resfriados pode surgir a inflamação ou infecção do ouvido, chamada de otite. “O sintoma inicial é um entupimento do ouvido e muita dor. Pode ocorrer uma supuração e sair secreção ou até mesmo pus do ouvido afetado”, explica o otorrinolaringologista.

As crianças, devido convívio em escolas e creches, podem contaminar mais facilmente umas às outras. A permanência em ambientes fechados também favorece a propagação das doenças. ‘O ideal é que quando a criança estiver doente, ela fique de repouso e não vá para a creche ou escola para evitar o contágio em outros alunos’, sugere o especialista. Os idosos podem ter imunidade mais baixa associada e a outras doenças como diabetes, doenças cardíacas, renais, enfisema pulmonar, câncer.

A rinite e a sinusite também aumentam muito no inverno. O especialista explica que isso acontece devido a maior exposição aos vírus e alergenos (substâncias que causam alergia: poeira, mofo, poluição) nesta época do ano. ‘Em alguns casos, lavando o nariz com soro e aplicando medicações que diminuem essa inflamação, podemos controlar a sinusite sem o uso de antibiótico’, aconselha o doutor Jairo.

Com dicas simples para o dia a dia, é possível tentar evitar as doenças de inverno. ‘Manter o ambiente arejado, lavar as mãos com frequência, beber muita água, dar preferência para frutas com muito suco como melancia, melão, laranja ajudam na prevenção de doenças desta época’, exemplifica.

Além disso, vale deixar o ambiente sempre o mais ventilado possível e lembrar da etiqueta da tosse e do espirro: tossir ou espirrar protegendo a boca ou o nariz seja com lenço ou cobrir a boca com a parte interna dos braços.

Texto: Médico Jairo de Barros, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia

(JA, Jul17)