Garantir o bem-estar do ente querido, faz do cuidador de idosos uma figura essencial nessa etapa da vida.

Conforme a idade avança, alguns problemas de saúde podem prejudicar a autonomia e a autoestima dos mais maduros. Por isso, esse é o momento em que muitas pessoas buscam a ajuda do cuidador de idosos.

Mas por que procurar esse tipo de profissional, mesmo?

É bem comum as pessoas se preocuparem apenas com os cuidados básicos, como refeições, remédios, banho, descanso. Porém, o idoso também precisa de atenção em aspectos que vão além do bem-estar físico – como qualquer outra pessoa.

Lembre-se: pode ser arriscado improvisar

Talvez por desconhecer todas as responsabilidades de um cuidador de idosos, muita gente ainda contrata pessoas sem preparo adequado para a função. Ou delega a um empregado doméstico o trabalho que seria de um cuidador. Mas até para tarefas que parecem simples existem técnicas mais apropriadas, que apenas um profissional qualificado será capaz de desempenhar, já que as atribuições estão muito além da rotina de cuidados com higiene e alimentação.

É um trabalho complexo, humanizado e de muita responsabilidade.

Qautro  atitudes fundamentais e um cuidador de idososEmpatia e o respeito

1- Empatia e respeito

É importante que ele se coloque no lugar do outro para compreender as suas limitações decorrentes da idade.  Como a pessoa se sente diante isso? O que pode fazer para estimular a autonomia do idoso?

2 – Identificação  dos sinais e sintomas que apontem para um possível problema de saúde, comuns na idade avançada

O cuidador precisa entender como funcionam os mecanismos de alterações fisiológicas recorrentes nessa faixa etária – causas, sintomas, tratamentos. Assim, ele poderá alertar a família ou recorrer ao profissional de saúde adequado, e ainda, garantir que as recomendações médicas sejam seguidas no dia a dia.

3- Estimulador das relações

Todos somos seres sociais e a necessidade de interação continua quando a idade avança. É fundamental preservar as relações do idoso com familiares e também valorizar sua convivência com outras pessoas.

O cuidador pode, por exemplo, fazer a ponte com grupos de idosos, cinemas, teatros, museus e outros espaços e atividades benéficos para o desenvolvimento social do idoso.

4- Encorajador da busca pelo protagonismo

Após décadas de histórias e experiências, muitas vezes o idoso está a ponto de perder sua vivacidade, principalmente quando convive com alguma limitação. Nesses casos, o cuidador deverá estimulá-lo  a lidar com as dificuldades e a recuperar o protagonismo.

Sempre que possível, ele deve ser estimulado a reconquistar seus espaços e se sentir capaz de realizar as atividades diárias.

Como o cuidador pode buscar a capacitação adequada?

Para se profissionalizar, é preciso fazer o curso de cuidador de idosos. A capacitação é muito procurada por:

  • Pessoas que, ao cuidar momentaneamente de conhecidos, percebem ter aptidão para a área e decidem ingressar nesse mercado.
  • Quem atua na área, cuidando de empregadores ou familiares, e percebe as dificuldades geradas pela falta de qualificação.

Mercado de trabalho atrativo

Os atendimentos individuais em domicílio são o campo de atuação com mais espaço nesse mercado, mas têm crescido as oportunidades em centros-dia – locais onde o idoso passa o dia, participa de atividades de integração, recebe os cuidados de que precisa e volta para casa à noite.

Como funcionário (regime CLT) ou empreendedor individual (MEI), o cuidador de idosos pode trabalhar também em instituições de longa permanência, hotéis, spas, clubes, núcleos de convivência, programas de acompanhante de idosos, home cares, clínicas, hospitais e até em agências de turismo para a terceira idade. Qualquer situação em que a pessoa idosa precise de apoio e estímulo há espaço para o trabalho atento e carinhoso de um cuidador.

Colaboração: Karen Elise de Campos, docente do Senac Penha.

 

(JA, Abr17)